quinta-feira, 30 de junho de 2011

Vestida para conquistar?

Somos cercadas pelas tendências da moda, que estão em toda parte: nas coleções das vitrines, nas personagens de filmes e novelas, nas mulheres em quem nos espelhamos, nas dicas de revistas, TV e internet.
Lendo uma reportagem da Vogue (Sobre uma garota de Manhattan que relaciona moda ao feminismo ) combinado com o comentário da nossa querida leitora Jacque Arguelles (sobre a entrevista da Glória Kalil em 23/06/11) eu me pergunto: nos vestimos para quem, afinal? Para nós mesmas, ou para atrair o olhar masculino?
Ao escolhermos o que vestir estamos buscando o que? Afirmar nossa imagem? Refletir nosso estado de espírito? Projetar um conceito de mulher descolada, atual, elegante, segura e antenada? Ou procuramos atrair olhares desejosos que saciam aquele nosso mais intrínseco capricho feminino: ser atraente?
Para quem respondeu ambas, saiba que este ponto de equilíbrio não é tão simples de ser atingido, sobretudo se estivermos muito tendenciadas a moda ou muito tentadas a sedução. O guarda roupa dos comerciais de cartão de crédito não parecem aceitar o vestuário das meninas da propaganda de cerveja. Visão masculina X Ditadura da moda; Conforto X Aparência das roupas.
Será mesmo que os homens se sentem atraídos por mulheres de calças clochard, odalisca e de pantalonas? Eu, por exemplo, não fico bem de pantalonas. Ou eles preferem a famosa mini saia seja ela estampada ou não? E a maquiagem, os looks pesadíssimos que muitas vezes parecem máscaras atraem e conquistam ou viram apenas mais uma boneca que quando se lava o rosto a boneca vai e a pessoa nem se parece com ela a não ser por certos detalhes. O papel dela já foi cumprido na noite anterior: exibição.
           Tendências mais pesadas da moda ditam um padrão rígido que pode se tornar um martírio e não contribuir para uma postura feminina. Tal como os óculos de grandes armações e lentes transparente ( sem grau), o abuso das sobreposições.
Entre as roupas da mulher-cerveja ou da mulher dos cartões de crédito, que tal as mulheres da propaganda de margarina? Nem sei ao certo como se vestem, acho que são de branco, simples e leves. O que importa é que parecem estar radiantes. Ela está livre, pode desarrumar o cabelo, está bem consigo mesma.
Maquiagem é válida sim. Mas para realçar a beleza e não se transformar em outra pessoa. Moda é boa sim, mas tem que saber levar, saber usar e não ser ditada somente pelas tendências, mas pelo estilo e o perfil de cada um.

3 comentários:

  1. Adorei o que você escreveu!

    ResponderExcluir
  2. Disse tudo e mais um pouco...palavras bem interpretadas!!!

    ResponderExcluir